Afinal, por que és tão ansiosa assim menina?

Lembro me que tempos atrás comecei a sentir algo muito estranho. Sensação de sufocamento, braço esquerdo pesado e por vezes formigando, logo pensei: Estou infartando!  Procurei uma médica, expliquei o que estava sentindo e tudo o que estava se passando em minha vida na época. Estava começando a faculdade, trabalhando e ficando louca com tudo isso. A médica ouviu atentamente, me examinou e disse: Calma, você não está infartando… Isso é crise de ansiedade. Até então sempre soube que eu era uma pessoa teimosa, que queria as coisas na hora, do jeito que eu queria, por vezes até mimada, mas… Crise de ansiedade?

Foto do 1º post

Comecei a pensar no que me fazia estar nessa condição e como lidar com isso.

O(s) motivo(s) da minha atual ansiedade?

Me formar, trabalhar com o que gosto, ter uma casa, uma vida à dois, me casar, viajar o mundo, conhecer e escrever sobre tudo, ter um filho, uma vida à três, ser mãe e esposa dedicada e a melhor pessoa que posso imaginar ser.

E enquanto tudo isso não acontece?

A ansiedade me corrói por dentro, e por vezes me frustra e me faz comer as pelinhas dos dedos também (eu sei, vergonhoso).

Comecei a namorar cedo! Aos 15 anos, alerta para uma frase clichê, conheci o amor da minha vida. Um cara bonito, por dentro e por fora, inteligente, olhos verdes, estatura mediana e desde adolescente, antes da modinha aparecer: barbudo. Nos beijamos pela primeira vez no dia 07 de setembro de 2005 em um festival de bandas de rock local. Estamos juntos desde então sem términos, sem pausas, sem interrupções (como ele tem orgulho de ressaltar). Muitos dizem que tive sorte, mas não gosto desse termo. Parece que não tenho um relacionamento duradouro por merecimento, mas sim, por acaso, fui contemplada e só. Se estamos juntos desde então, é porque merecemos um o amor do outro e o fazemos se tornar realidade todos os dias.

A paixão já passou há uns 8 anos. Sabe, o frio na barriga, as mensagens trocadas de madrugada, a ansiedade para que o próximo encontro chegue rápido… tudo isso passa. O que fica de verdade é o amor e a amizade. O gostar da companhia um do outro. O dispensar dos adventos tecnológicos, que por vezes atrapalham muitos relacionamentos, e simplesmente conversar, de papo para o ar olhando o teto, mas sonhando com infinitas possibilidades futuras, deitados lado a lado na cama. O contato mais do que físico, o humano. A reciprocidade de sentimentos e a compreensão de que estamos lidando com outra pessoa, outros pensamentos, outra personalidade. A calma e a maturidade para lidar com as adversidades, brigas e crises de ciúmes e por que não, as existenciais também?

Certa vez li uma mensagem que dizia assim: “Amar é reciclar, quando muitos descartariam”. Penso que nunca li algo tão verdadeiro sobre o amor e sobre o nosso próprio relacionamento, que já dura 10 anos.

Dado um breve resumo de minha vida amorosa, voltemos para o assunto. O motivo mais drástico da minha ansiedade é o da espera para que nossa casa, nosso cantinho, nosso lar doce lar, o futuro point para nossos amigos frequentarem, fique pronto logo! A espera pelo inicio de uma vida mais completa e feliz, dessa vez à dois. Compramos a casa em 2014, porém, por diversos problemas burocráticos (e talvez um tiquinho de azar também), só iremos conseguir fechar o contrato do financiamento (agora) no final de 2015. Mas, agora sim, agora vai. Com o pensamento positivo, estamos otimistas e contando que no segundo semestre de 2016 a casa estará pelo menos, em fase de acabamento.

Impulsionada pelo sentimento de recomeço e de fase nova, criei o Minuciosa Vida. Mas já aviso aos navegantes que esse funcionará como uma espécie de registro para a posteridade, um diário despretensioso com descrição dinâmica, que mudará de acordo com as fases da minha própria vida. Como assim? Hoje, o blog tem o título de Minuciosa Vida, descrito como – de uma ansiosa! Mas esse corre o risco de em breve, mudar de descrição, de temática e de fase, assim como a vida é feita: de mudanças constantes e adequações.

Encerro refazendo a pergunta inicial: O motivo da minha atual ansiedade?

Posso resumir a resposta em apenas uma palavra: VIVER!

Como lidar com a ansiedade, eu sinceramente não sei. A cabeça da gente as vezes é a nossa pior inimiga nessas situações, mas espero que o blog seja um caminho, uma ferramenta para conviver com ela de forma pacífica e positiva.


Assinatura de post


Anúncios

2 comentários em “Afinal, por que és tão ansiosa assim menina?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s